4 de janeiro de 2015

Novidades sobre a Sis Mirage 3 no Ubuntu Trusty Tahr (14.04) , Linux Mint Rebecca (17.1), Debian Wheezy (7) e Jessie (8)


Atualizado em 21/02/2016


Já escrevi algumas vezes aqui no blog sobre esta placa de vídeo Sis Mirage 3 e num dos posts cheguei a dizer que quem utiliza Ubuntu e a Sis Mirage 3 ficaria preso à versão 12.04 ou anterior. O tempo passou e, pesquisando na net, testando, consegui encontrar uma maneira de pelo menos atingir a resolução 1280 x 800 em alguns notebooks que possuem esta resolução e reproduzir vídeos tranquilamente.

Sis Mirage 3 no Ubuntu 14.04 e Linux Mint 17.1 (Rebecca)
 
A solução tanto para o Mint 17.1 (Rebecca) e Ubuntu 14.04 (testei apenas em x64) é a mesma, pois o Mint deriva do Ubuntu. Lembrando que esta dica não funciona no Linux Mint 17.1 Debian Edition. Esta solução eu encontrei no Viva o Linux e baseia-se na utilização do driver Sisimedia do Mandriva e tomei a liberdade de fazer pequenas adaptações para facilitar a instalação do driver.

Criei um script que faz todo o procedimento necessário para a instalação do driver e pode ser baixado aqui.
Para instalar via script rode os comandos no terminal e reinicie o computador.

sudo mv sisi_trusty.sh?dl=0 sisi_trusty.sh
sudo bash sisi_trusty.sh


Mas quem quiser fazer manualmente pode seguir os passos abaixo.

Download dos arquivos necessários.

1 - Driver Sisimedia:

sisimedia_drv.la
sisimedia_drv.so

2 - Sis Control e o atalho para desktop, responsável por configurar as configurações da placa.

sisctrl
SisControl

3- Xorg.conf

xorg.conf

Instalação.

1 - Copie e cole os comandos abaixo no terminal:

sudo su
mv sisctrl /usr/bin/sisctrl
mv sisimedia_drv.la /usr/lib/xorg/modules/drivers/sisimedia_drv.la
mv sisimedia_drv.so /usr/lib/xorg/modules/drivers/sisimedia_drv.so
mv xorg.conf /etc/X11/xorg.conf


2 - Copie o atalho SisCTRL.desktop para o local que desejar, é ele que acessa algumas configurações avançadas do driver.

Finalizado, reinicie o computador e a Sis Mirage 3 estará com a resolução correta.

Obs: Nos casos que esta solução não funcionar no Ubuntu 14.04 tente a solução para o Debian Jessie, postada mais abaixo.

Sis Mirage 3 no Linux Mint 13 (Maya)

No 1º post que fiz sobre Sis Mirage 3 aqui no blog afirmei que a dica do blog do Hugo Bastos, que funcionava até o Ubuntu 12.04 era também aplicável à versão do Linux Mint equivalente àquela versão do Ubuntu. A versão do Linux Mint era a 13, chamada Maya. Depois de um tempo vi que não era possível utilizar a mesma dica e depois de mais um tempo consegui fazer funcionar no Mint Maya, então adaptei um script que uso faz algum tempo para facilitar a instalação.
Baixe o script para o Linux Mint Maya

Baixar o script Sis Mirage 3 no Linux Mint 13 (Maya)

Para instalar, copie e cole os comandos abaixo no terminal:

sudo mv sis_maya.sh?dl=0 sis_maya.sh
sudo bash sis_maya.sh


Aguarde o fim, reinicie o computador, e você já terá a resolução correta do monitor.

Sis Mirage 3 no Debian Wheezy (7)

E vamos continuando com as buscas de soluções para, pelo menos, atingir a resolução correta do monitor em notebooks com a Sis Mirage 3.
Desta vez consegui encontrar uma solução que funcionasse na versão estável do Debian, que nesta data, é o Debian 7, de codinome Wheezy. Após instalado o Wheezy atualizei-o para a versão 8 (Jessie) e o monitor continuou com a resolução correta, porém, quando instalei o Debian Jessie do zero, esta solução não funcionou. Para instalar a solução no Debian Wheezy, abra o terminal e siga os seguintes passos:

1 - Instale alguns pacotes necessários para compilar o driver

sudo apt-get update

sudo apt-get install git xorg-dev mesa-common-dev libdrm-dev libtool build-essential xutils-dev automake autoconf autotools-dev libdmx-dev p7zip-full p7zip

2 - Baixe o fonte do driver a ser compilado

Baixar xf86-video-sis671-sis-671-fix.tar.gz

3 - Descompacte o arquivo baixado anteriormente

tar -vzxf xf86-video-sis671-sis-671-fix.tar.gz

4 - Agora vamos compilar o driver, faça cada um dos comandos abaixo e aguarde

sudo su cd xf86-video-sis671-sis-671-fix
autoreconf -vi
./configure --prefix=/usr --disable-static
make
make install

 
5 - Baixe o Xorg.conf


Xorg.conf

6 - Instale o Xorg.conf

mv xorg.conf /etc/X11/xorg.conf


Reinicie o computador, e você já terá a resolução correta do monitor.


Atualização em 21/02/2016, com algumas dicas fornecidas por Matheus Azevedo

Sis Mirage 3 no Debian 8 (Jessie) - (Funciona também no Ubuntu 14.04.2)

A última versão estável do Debian é a 8.0, chamada Jessie. Após algumas tentativas, consegui obter êxito quanto ao funcionamento desta placa nesta versão. Este procedimento funciona no Ubuntu 14.04, para os casos que a solução acima não funcionou. O procedimento para instalação é praticamente o mesmo dos anteriores, abra o terminal e siga os seguintes passos:

1 - Instale alguns pacotes necessários para compilar o driver

sudo apt-get install git xorg-dev mesa-common-dev libdrm-dev libtool build-essential xutils-dev automake autoconf autotools-dev libdmx-dev p7zip-full p7zip mesa-utils mesa-utils-extra libgl1-mesa-dri-dbg libgl1-mesa-dri libgl1-mesa-swx11 libgl1-mesa-swx11-dbg libgl1-mesa-swx11-dev libglw1-mesa libglu1-mesa libglu1-mesa-dev libx11-dev

2 - Baixe o fonte do driver a ser compilado

Baixar sis-mirage3.tar.gz

3 - Descompacte o arquivo baixado anteriormente

tar -vzxf sis-mirage3.tar.gz

4 - Agora vamos compilar o driver, faça cada um dos comandos abaixo e aguarde

sudo su
cd sis-mirage3
autoreconf -vi
./configure --prefix=/usr --disable-static
make
make install


5 - Baixe o Xorg.conf (Fornecido por Matheus Azevedo, nos comentários abaixo)

Xorg.conf

6 - Instale o Xorg.conf

mv xorg.conf /etc/X11/xorg.conf


Reinicie o computador.

E fica a dica, teste e comente aqui no blog se estas soluções funcionaram, assim podemos debater e ajudar outros usuários que passam pelos mesmos problemas.

Obs¹: Não é possível ativar efeitos 3D, pois esta placa não é 3D, logo, Unity, Gnome 3 e Cinnamon não funcionam corretamente.
Obs²: Para uma melhor experiência utilize o Xfce, Mate, LXDE ou Gnome-Shell Fallback.

3 de janeiro de 2015

Criando um Pendrive Multiboot com o Yumi

Hoje trazemos pequeno tutorial de como criar um pendrive bootável com várias distribuições Linux. Num pendrive multiboot é possível instalar distribuições Linux, discos de recuperação, discos de antivírus, e mesmo versões do Windows. Graças à esta versatilidade de sistemas torna-se interessante e importante possuir um pendrive deste pois pode ser utilizado para testes e recuperação de sistemas instalados no HD.

Para criar este pendrive utilizaremos o Yumi, disponível aqui. Para utilizar não é necessário instalar, apenas clique no executável e vamos iniciar.
Será apresentada a tela abaixo onde escolhemos qual unidade usb utilizaremos, se desejar pode marcar a opção de formatar o pendrive (certifique-se que não haja nenhum arquivo importante neste pendrive antes de formatar). O passo 2 é onde se escolhe a distro que se deseja instalar. Podemos obter a iso marcando a opção "Download Link" que fará o diretamente download e a instalação no pendrive. A outra opção é buscar uma iso que já foi previamente baixada e está numa pasta, para isto utilizamos a opção "Browse".

multiboot com Yumi

Vamos escolher uma ISO que está em uma pasta, neste caso o Ubuntu 14.04 64 Bits. Na opção 3 podemos escolher o tamanho para um arquivo persistente, onde ficarão salvas toda as modificações realizadas na ISO quando iniciada pelo pendrive. Normalmente, quando reiniciamos, todas as alterações são perdidas mas, fazendo desta maneira, não ocorre perda (das distros que testei funcionou com Ubuntu, Xubuntu, e Linux Mint, Debian não deu certo). Vamos à instalação da primeira distro no pendrive, clique em "Create" e aguarde.

multiboot com Yumi

Quando chegamos nas  duas telas abaixo pode parecer que  está travado, mas é só aguardar que termina. A primeira tela é da instalação do sistema, e a segunda é da criação do arquivo persistente.

multiboot com Yumi

multiboot com Yumi

Ao acabar, clicando em "Next" aparece uma janela perguntando se deseja adicionar mais uma distro ao pendrive. Caso queira adicionar  escolha "Sim". Caso não queira instalar, escolha "Não" e estará encerrado. Mas a qualquer momento você poderá adicionar outra distro sem precisar refazer tudo do começo.

multiboot com Yumi

Se sua escolha foi sim, faça novamente como fez no começo, só não formate o pendrive.

multiboot com Yumi

O limite para adicionar distros é o tamanho do pendrive. Para teste utilizei um pendrive pequeno de 8 Gb e instalei o Linux Mint 13, o Xubuntu 14.04 e o Linux Mint 17 cada um com arquivo persistente de 516 Mb e ainda sobrou espaço para pelo menos mais uma distro. Após a instalação podemos encerrar o Yumi.

multiboot com Yumi

Também é possível remover qualquer distro instalada sem comprometer o funcionamento das outras. Para isto basta escolher o "Uninstaller Mode", depois escolher a distro a ser removida e clicar em "Remove".

multiboot com Yumi

Em um outro teste instalei junto com o Mint e o Xubuntu o Boot Repair, uma distro de recuperação do gerenciador de inicialização Grub. Também, graças à criação do arquivo persistente, foi possível a realização de testes de instalação de hardware (driver de placa de vídeo) sem precisar instalar o sistema no Hd, podendo reiniciar pelo pendrive sem perder as configurações realizadas para o driver.

Conclusão: Criar um pendrive multiboot é uma tarefa relativamente fácil e que pode ajudar usuários experientes, novos e usuários curiosos dispostos a conhecer as diversas distribuições Linux existentes. Mas aí pode surgir uma pergunta: "Não seria mais interessante realizar testes numa máquina virtual?" A resposta é não pois, enquanto numa máquina virtual você emula um hardware e instala o sistema num hardware diferente do seu, fazendo da maneira indicada aqui você está testando seu próprio hardware e poderá ter mais certeza sobre qual distro ou interface utilizar num futura instalação no Hd.