Flatpak e Snap no Debian, Fedora e Ubuntu

Postado por , em Nenhum comentário:
Flatpak e Snap no Debian, Fedora e Ubuntu - Dicas Linux e Windows
Veja nesta matéria como ativar o suporte e instalar pacotes Snap e Flatpak em distribuições Linux, além de um esboço sobre pacotes de aplicativos nas distribuições Linux.






Índice


Como a matéria é um pouco extensa, fiz um índice para facilitar o acesso aos tópicos.
  1. Aplicativos em sistemas Linux
  2. Flatpak
  3. Snap
  4. Vantagens e desvantagens do uso de Snap ou Flatpak
  5. Ativar o suporte ao Snap no Debian e Fedora
  6. Ativar o suporte ao Flatpak no Ubuntu e Fedora
  7. Instalando Snap no Debian e Fedora
  8. Instalando Flatpak no Debian e Ubuntu
  9. Considerações finais
  10. Referências

1. Aplicativos em sistemas Linux


Há várias formas de instalar aplicativos nos sistemas baseados em Linux. Uma forma que funciona em qualquer distribuição é a instalação por código fonte. Desta forma o código é compilado de acordo com a arquitetura do sistema (32, 64 bits...). Porém, não é uma maneira tão simples de se fazer.
Outra forma é através de pacotes. O código fonte é colocado num arquivo junto com todos os arquivos necessários para sua instalação, somado à um sistema de checagem das dependências e bibliotecas necessárias e scripts para instalação e remoção. Ao instalar um aplicativo por meio de um pacote, este se utilizará destes scripts e do sistema de checagem para instalar ou atualizar tudo o que for necessário para o funcionamento do aplicativo. Cada família de distribuição Linux possui seu sistema de empacotamento de aplicativos e estes sistemas de empacotamento diferem - e sua instalação também - dependendo da "família" da distribuição. Explico:
  • Nos sistemas baseados no Debian - que têm entre os mais populares o Ubuntu (que por sua vez possui seus derivados) - o sistema de empacotamento é chamado Deb, gerando um arquivo com a extensão .deb;
  • Em sistemas como Red Hat, Fedora, OpenSuse, CentOS (entre outros) o sistema de empacotamento é chamado de Rpm (Red Hat Package Manager), gerando um arquivo com a extensão .rpm.
  • Nem todo pacote .deb de uma distribuição pode ser instalado numa outra, mesmo que as duas suportem o formato .deb. O mesmo acontece com os pacotes .rpm.
  • Tanto os pacotes .deb quanto os .rpm podem ser instalados via terminal ou com um duplo clique (desde que haja um gerenciador que faça a instalação deles). Tanto com um duplo clique, quanto pelo terminal, os pacotes são gerenciados por gerenciadores de pacotes, que buscam as dependências necessárias e instalam o aplicativo;
  • Dentre estes gerenciadores estão o Apt e Dpkg no Debian, Ubuntu e derivados dos dois; Dnf no Fedora; Zypper no OpenSuse; além das lojas como a Gnome Software e similares.
Além destes formatos de empacotamento tradicionais, que são, digamos, presos à determinadas distribuições (ou à famílias de distribuições), temos alguns formatos que podemos dizer que são multiplataforma, e podem ser instalados e executados de maneira diferente. Dentre estes formatos estão o Flatpak e Snap, que serão mostrados a seguir:

2. Flatpak


O formato de empacotamento Flatpak foi desenvolvido como parte do projeto freedesktop.org, com o apoio da Red Hat, e tem o intuito de facilitar a utilização de aplicativos em sistemas linux. O Flatpak é um tipo de contêiner, onde tudo o que é necessário para o funcionamento de um aplicativo está nele. Como as bibliotecas necessárias para o funcionamento do aplicativo estão dentro deste contêiner, no momento em que o aplicativo é executado não é solicitado nenhum privilégio administrativo do usuário (root) e este não é capaz de alterar nenhuma configuração do sistema. Só ocorre solicitação de senha de root quando o suporte é ativado e no momento de instalação do runtime (que geralmente ocorre ao instalar o primeiro pacote Flatpak).
Os aplicativos empacotados neste formato podem ser obtidos na loja flathub.org, e/ou em outras fontes. No Fedora o suporte ao Flatpak já vem ativado e há uma integração com a Gnome Software, que permite utilizar a Flathub como fonte.
Diversos aplicativos populares são disponibilizados neste formato. Dentre estes estão: Firefox, Chromium, Spotify, Gimp, Inkscape, Libre Office, VLC, entre outros.

3. Snap


Desenvolvido pela Canonical (desenvolvedora do Ubuntu) a ideia é que o formato Snap permita que os aplicativos distribuídos neste formato sejam executados em diversos tipos de dispositivos. O suporte Snap já vem integrado ao Ubuntu, inclusive a Gnome Software no Ubuntu virou Snap Store, onde se encontram os aplicativos neste formato. Atualmente é suportado por diversas distribuições Linux.
Da mesma forma que acontece com os Flatpaks, tudo o que é necessário para um aplicativo ser executado está incluído num pacote Snap e o aplicativo é executado sem interferir nas configurações do sistema operacional e sem exigir permissões de superusuário. Diferentemente do Flatpak, só é possível obter os aplicativos Snap de apenas uma fonte.
Diversos aplicativos populares são disponibilizados neste formato. Em alguns casos - quando se está utilizando o Ubuntu - ao solicitar a instalação de um aplicativo, este será instalado no formato Snap, mesmo que este aplicativo exista no repositório tradicional do Ubuntu. Em outros casos, a Canonical removeu o aplicativo tradicional, deixando apenas o Snap (caso do navegador Chromium no Ubuntu). Mais detalhes sobre Snaps em http://guialinux.uniriotec.br/snap/

4. Vantagens e desvantagens do uso de Snap ou Flatpak


Algumas vantagens de utilizar pacotes Snap ou Flatpak, salvo algumas exceções pontuais, são:
  • Maior segurança, pois os aplicativos não podem causar danos ao sistema e geralmente é preciso ter acesso de superusuário;
  • Praticamente tudo o que é preciso para o aplicativo funcionar já está incluído no pacote;
  • Em casos onde o usuário utiliza (por algum motivo específico) um sistema desatualizado e, desta forma, não consegue instalar alguns aplicativos mais recentes. Ou quando determinado aplicativo não está nos repositórios da distribuição preferida do usuário. Nestes dois casos o usuário poderá encontrar uma solução disponível em Snap ou Flatpak.

Alguns pontos negativos:
  • Utiliza-se de um grande espaço em disco, pois os arquivos geralmente são grandes mas, se você não tem limitação com espaço no HD ou SSD, isto não é um problema;
  • Pode tornar lenta a inicialização do sistema (Snap);
  • Em alguns casos, fora do Ubuntu, os aplicativos em Snap podem não ter uma aparência muito agradável;

5. Ativar o suporte ao Snap no Debian e Fedora


Como o Snap já vem ativado por padrão no Ubuntu, vou mostrar nesta seção como instalar e utilizar no Debian e no Fedora. Estes já possuem o suporte ao Snap nos repositórios, porém, o mesmo não vem instalado por padrão.

Instale o Snapd, que é o mesmo que ativar o suporte ao Snap. No terminal, coloque o comando a seguir:

5.1. No Debian:


 sudo apt install snapd

5.2. No Fedora:


 sudo dnf install snapd

6. Ativar o suporte ao Flatpak no Debian e Ubuntu


Da mesma forma, como o suporte ao Flatpak já vem ativado no Fedora, vou mostrar nesta seção como ativá-lo no Debian e no Ubuntu.

Os passos a seguir funcionam no Debian e Ubuntu. No terminal, coloque o comando a seguir:


 sudo apt install flatpak

Ative a loja Flathub com o comando abaixo:


 flatpak remote-add --if-not-exists flathub https://flathub.org/repo/flathub.flatpakrepo


7. Instalando Snap no Debian e Fedora


Com o suporte ao Snap ativado, vamos na sequência ver quais os procedimentos para instalação e remoção de pacotes Snap no Debian e no Fedora. Tais ações são possíveis tanto via terminal, quando via interface gráfica. Vou mostrar das duas formas:

7.1. No Debian

Como exemplo, vou instalar a Snap Store pelo terminal:


 snap install snap-store

Para executar:


 snap run snap-store

Para remover:


 snap remove snap-store

Via Interface Gráfica

Da maneira como está ativado, há duas maneiras de instalar pacotes Snap no Debian.
A primeira delas é através da Snap Store (que já foi instalada no passo anterior). Basta abri-la, buscar pelo aplicativo desejado, e instalar o mesmo. A Snap Store lista apenas aplicativos em Snap.
A segunda maneira é através da própria loja de aplicativos do Gnome, a Gnome Software. Para isto será necessário instalar um plugin para Snap. faça com o comando abaixo:


 sudo apt install gnome-software-plugin-snap

Após instalar o plugin, abra a Gnome Software (Programas). Neste caso, instalei o Firefox apenas para mostrar que foi uma versão em Snap.
A animação abaixo mostra o processo.

Flatpak e Snap no Debian, Fedora e Ubuntu - Dicas Linux e Windows

7.2. No Fedora:

Da mesma forma que fiz no Debian, vou instalar a Snap Store pelo terminal. Os comandos de instalação, execução e remoção são exatamente os mesmos que já foram listados no item 7.1.


 snap install snap-store


 snap run snap-store


 snap remove snap-store

Via Interface Gráfica

No Fedora - via interface gráfica - podemos utilizar a Snap Store, já instalada acima. Ao contrário do que ocorre no Debian, não há um plugin para a Gnome Software.

8. Instalando Flatpak no Debian e Ubuntu


Agora que o suporte ao Flatpak foi ativado no Debian e no Ubuntu, veremos como instalar e remover pacotes Flatpak nestes dois sistemas, via terminal e via interface gráfica. A fonte dos pacotes será a Flathub, já adicionada no momento em que o suporte foi ativado. Os passos para as duas distribuições são os mesmos e foram testados no Debian Buster e Ubuntu Focal Fossa, ambos com a interface Gnome.

Neste exemplo vou instalar o Inkscape pelo terminal. Na instalação via terminal não basta apenas saber o nome do aplicativo, é preciso saber o nome completo. Então, antes do comando de instalação, podemos fazer uma busca com o comando abaixo:


 flatpak search inkscape

A pesquisa acima terá a saída como a mostrada abaixo:
Flatpak e Snap no Debian, Fedora e Ubuntu - Dicas Linux e Windows
Como podemos ver acima, o nome completo do programa Inkscape é org.inkscape.Inkscape.


 flatpak install org.inkscape.Inkscape

Confirme as eventuais mensagens que podem surgir e pronto, o aplicativo estará instalado.

Para executar:


 flatpak run org.inkscape.Inkscape

Para remover:


 flatpak remove org.inkscape.Inkscape

Via Interface Gráfica

Da mesma forma que ocorreu com os Snaps, também é possível trabalhar com pacotes Flatpak diretamente na Gnome Software. Basta instalar um plugin para Flatpak, conforme mostrado abaixo.

Detalhe importante: No Ubuntu, a Gnome Software não vem instalada por padrão, pois foi substituída pela Ubuntu Software, equivalente à Snap Store. Portanto, ao executar o comando abaixo, a Gnome Software será instalada. Tanto a Gnome Software, quanto a Ubuntu Software tem interfaces quase idênticas, porém, o ícone não é igual e a Gnome Software é chamada de Programas.


 sudo apt install gnome-software-plugin-flatpak


Após instalar o plugin, abra a Gnome Software (Programas). No exemplo instalei o aplicativo Cheese em Flatpak.
A animação abaixo mostra o processo de instalação.

Flatpak e Snap no Debian, Fedora e Ubuntu - Dicas Linux e Windows

9. Considerações Finais


Minha opinião é que utilizar pacotes em Snap ou Flatpak deve ocorrer apenas em casos pontuais, quando o usuário precisa de um aplicativo numa versão atualizada e a distribuição do usuário não tem este aplicativo no repositório, ou quando não o aplicativo não existe para aquela distribuição. Fora estes dois casos, eu prefiro sempre utilizar a versão disponível nos repositórios tradicionais da distribuição. Mas é apenas a minha opinião de acordo com as minhas necessidades como usuário.

Uma última observação: O objetivo desta matéria foi mostrar o básico de como trabalhar com pacotes nos formatos descritos, mostrando apenas como instalar, executar e remover. Porém, há diversas outras opções que permitem ao usuário diversas ações de manipulação destes pacotes no sistema. Caso o usuário esteja a fim de se aprofundar nos assuntos, deixei alguns links como referência da matéria e há uma quantidade imensa de informações na internet.

10. Referências


http://guialinux.uniriotec.br/snap/ https://docs.flatpak.org/en/latest/index.html
https://snapcraft.io/docs
https://snapcraft.io/docs/getting-started
https://guiafoca.org/guiaonline/inicianteintermediario/


Compartilhe:

Nenhum comentário:

Postar um comentário